Biografia do Fado

Este fado é da autoria de Frederico de Brito, tornou-se famoso na voz de Carlos Ramos. Como vamos ver, trata-se de um fado extremamente rico em termos de transições entre os acordes, muito útil para a aprendizagem geral do acompanhamento do fado à viola. Não estão listadas aqui menos de… 17 passagens diferentes!

Aqui vai o vídeo (a voz é do João Braga) :

Apontamentos prévios:

  • Na transição (n), não se esqueça de mover o anular (esquerdo) para a 5a corda enquanto o dedo mínimo vai buscar a 7a casa. Mantém-se assim a figura do C#m.

Nota habitual :
São assinalados (entre parênteses) por a, b, c, etc., os esquemas de transição mais comuns. Esses esquemas são representados mais abaixo neste artigo (clique na imagem para ampliar). Quando várias letras aparecem, “(a,b)” por exemplo, significa que o tocador pode utilizar qualquer uma das passagens (a) e (b). Agradeço todos os comentários e correcções: lembro que sou apenas um amador que toca fado para divertimento pessoal.

Introdução : C# (a) D#7 – G#7 (b) – C#m (c)

C#m                            G#7
Perguntam-me p’lo Fado
.                C#m
Eu conheci-o

Era um ébrio, era um vadio
.                    (d)            G#7 (e)
Que andava na Mouraria
.                                           (f)                 F#m
Talvez ‘inda mais magro que um cão galgo
E a dizer que era fidalgo
(g) G#7                         C#m (h,i)
Por andar com a fidalguia

E
O pai era um enjeitado
.                    (j,k,l)
Que até andou embarcado
C#7                        F#m (m)
Nas caravelas do Gama
.                                      C#m
Um malandro chavo e sujo
.                                      (n) D#
Mais jingão do que um marujo
G#7                                 C# (o)
Dos velhos becos de Alfama

.       C#
Pois eu
(a,p,q)                         G#7 (b)
Sei bem onde ele nasceu

Não passou de um plebeu
.                                           C#
Sempre a puxar p’ra vaidade

Sei mais
.                                          G#7
Sei que o Fado é um dos tais
Que não conheceu os pais
.                                      C#m (c)
Nem tem certidão de idade

Perguntam-me por ele
Eu conheci:
Num perfeito desvario
Sempre amigo da balbúrdia
Entrava na Moirama a horas mortas
Ia abrir as meias portas
Era o rei daquela estúrdia

Foi às esperas de gado
Foi cavaleiro afamado
Era o delírio do entrudo
Naquela vida agitada
Ele que veio do nada
Não sendo nada era tudo

Pois eu
Sei bem onde ele nasceu
Não passou de um plebeu
Sempre a puxar p’ra vaidade
Sei mais
Sei que o Fado é um dos tais
Que não conheceu os pais
Nem tem certidão de idade

Sei mais
Sei que o Fado é um dos tais
Que não conheceu os pais
Nem tem certidão de idade

Esquemas mais comuns (assinalados acima por a, b, c, etc.). (5 imagens diferentes : clique nelas para ampliar)

Biografia do Fado (a-d)

Biografia do Fado (e-h)

Biografia do Fado (i-l)

Biografia do Fado (m-o)

Biografia do Fado (p-q)

Esta entrada foi publicada em O Fado de Lisboa. ligação permanente.

3 respostas a Biografia do Fado

  1. Fadista diz:

    Parabéns por esta interessante ideia, por este blog que poderá ajudar muitos que queiram aprender viola de fado.
    Fiquei fã!

  2. Pingback: Aviso de rectificação (1) | A viola é do fado

  3. Paulo Grovi diz:

    Blog fantástico, estou a ler tudo, parabéns.
    Se por acaso, tiverem alguma coisa sobre o Baixo no fado, agradecia muito, obrigado.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s